Escolha uma Página

Enquanto o mundo mergulha em prolongada incerteza devido aos estragos gerados pelo COVID-19, desde Washington o governo Trump, pisoteando toda a legislação internacional, fixa uma recompensa de 15 milhões de dólares pela captura do legítimo presidente da Venezuela, Nicolás Maduro Moros, e montantes de 10 e 5 milhões por outros funcionários venezuelanos sob a falsa acusação de enviarem cocaína aos Estados Unidos.
Nenhuma pessoa sensata, muito menos a comunidade de nações, pode aceitar semelhante delírio, que se explica pelo desespero de um governante em transe de reeleição que vê fazer água o barco de seu império, golpeado pelo tsunami da crise que o invade.
Desde a Força Alternativa Revolucionária do Comum-FARC rechaçamos e condenamos semelhante ultraje, chamamos à consciência livre da humanidade, aos povos e nações do mundo, as NNUU a se pronunciarem contra tal ato de pirataria internacional, violador dos princípios do Direito Internacional.
Devem cessar os bloqueios e as medidas restritivas, verdadeiras armas criminais, contra os povos soberanos.
Os colombianos não podemos permanecer indiferentes ante a ameaça de um conflito internacional em nossa fronteira; por isso chamamos o Governo Colombiano a que se pronuncie claramente em rechaço a essa pretensão do governo estadunidense. A Colômbia não pode seguir sendo ponta de lança da estratégia intervencionista dos Estados Unidos.
Um conflito armado internacional em território do país irmão, sem sombra de dúvidas, nos terminaria arrastando aos colombianos. Não permitamos que isso suceda.

Conselho Político Nacional
Força Alternativa Revolucionária do Comum, FARC
Bogotá D.C. 26 de março de 2020

Tradução > Joaquim Lisboa Neto